Lady Gaga

Lady Gaga

Closer

Cantora, compositora, produtora musical, instrumentista, dançarina e atriz, as habilidades de Stefani Joanne Angelina Germanota, conhecida mundialmente como Lady GaGa, não terminam por aí. Filha mais velha de Joseph Germanotta e Cynthia Germanotta, Lady GaGa nasceu, na cidade de Nova Iorque, em 28 de março de 1986. Em apenas cinco anos de carreira, possui 186 prêmios vencidos e 295 indicações. No entanto, apesar de ter nascido uma “superstar”, GaGa foi uma criança como qualquer outra.Frequentou a escola católica privada Convent of the Sacred Heart, no Upper West Side, em Manhattan, quando tinha onze anos.

A cantora, desde jovem, escutava rock e pop, passeando pelos clássicos como Beatles, Queen e Rolling Stones, e ouvindo seus contemporâneos, Michael Jackson e Cindy Lauper, algumas de suas vastas influências musicais. Com quatro anos de idade, aprendeu a tocar piano e, aos treze, compôs a sua primeira canção. Era claro o seu dom para as artes. Por volta dos quatorze anos, passou a frequentar, acompanhada pela mãe, casas noturnas e cantar em karaokês.

GaGa descreve a sua vida no colégio como “complicada, estudiosa e disciplinada”, no entanto, “um pouco insegura”.

“Eu costumava ouvir brincadeiras por ser tanto provocativa como excêntrica, então comecei a baixar o tom. Eu não me encaixava, e me sentia como uma estranha”

Após o colegial, GaGa conseguiu admissão na Tisch School of Arts,  onde estudou música e melhorou suas habilidades artísticas. No entanto, deixou a instituição durante o segundo semestre do seu segundo ano, para focar na carreira musical. Seu pai concordou em pagar o aluguel da GaGa durante um ano, sob a condição de que,  se ela fosse mal sucedida, voltaria a se matricular em Tisch.

“Uma vez que você aprende a pensar sobre arte, você pode ensinar a si mesmo. Eu abandonei a minha família inteira, consegui o apartamento mais barato que podia encontrar, e me dei mal até que alguém me ouvisse” – Lady GaGa

Durante os primeiros anos, esteve associada à pequenas gravadoras e trabalhou, juntamente com seu parceiro RedOne em algumas canções para ela mesma e para outros artistas. Nesse tempo, deu início também à Stefani Germanotta Band, grupo formado com alguns amigos. No entanto, a vida da noite levou-a a experimentar drogas e o seu pai, não entendo o motivo da filha consumir tais substâncias, passou alguns meses sem falar com ela.

O nome artístico Lady GaGa surgiu por acaso, com ajuda do produtor musical  Rob Fusari, que comparou as habilidades de GaGa às de Freddie Mercury.

“Todo dia, quando Stef vinha ao estúdio, ao invés de dizer “olá”, eu começava a cantar “Radio Ga Ga” – música do Queen. Esta era a sua canção de entrada. Lady Gaga foi na verdade um pequeno erro; eu digitei “Radio Ga Ga” em um e-mail e ele fez uma autocorreção, então, de alguma maneira, “Radio” mudou para “Lady”. Ela me respondeu: “É isto”. Depois daquele dia, era Lady Gaga. Ela disse: “Nunca mais me chame de Stefani” – Rob Fusari.

 

Lady GaGa já podia se considerar um sucesso, mesmo antes de sua carreira começar. Isso porque ela já havia composto uma música gravada pelo grupo Pussycat Dolls e ainda foi convidada para escrever para outros artistas da gravadora Interscope Records.

Foi questão de tempo para a cantora conseguir seu próprio espaço. Ela lançou, em 2008, The Fame, disco todo composto por ela.

Logo Lady GaGa se tornou um fenômeno Pop, emplacando músicas como Just Dance, Poker Face e Paparazzi. Suas músicas foram incluídas em séries famosas, como The Gossip Girl.

Além de conquistar sucesso em muitas paradas de música eletrônica, Lady GaGa também conquistou os críticos e chegou até mesmo a ganhar uma indicação para o Grammy (premiação mais importante da música norte-americana) por Melhor Gravação de Música Eletrônica.

The Fame foi um grande sucesso, principalmente no Reino Unido, Canadá, Áustria, Alemanha e Irlanda, vendendo, até os dias de hoje, mais de 12 milhões de cópias. Foi o primeiro álbum de estréia, na história, a ter quatro canções em primeiro lugar. De início, Gaga precisou se esforçar para que seu disco fosse reconhecido, diversas rádios se recusavam a tocar suas musicas, alegando não ser o que o público queria ouvir. Essa situação foi logo revertida enquanto Gaga ganhava o mundo.

Em 18 de novembro de 2009, seu álbum de estréia foi relançado sob o nome de ‘The Fame Monster’, edição que acompanhava um segundo disco contendo seu novo EP com oito canções inéditas, que tinha como conceito o lado sombrio da fama. O disco foi mais um sucesso, vendendo mais de 6 milhões de cópias internacionalmente, e possuindo como músicas de divulgação “Alejandro”,” Telephone” e “Bad Romance”, a última acabou por se tornar seu trabalho mais icônico. Ainda para divulgação de seus dois discos, Gaga embarcou na turnê ‘The Monster Ball Tour’, segunda e maior turnê de sua carreira, se apresentando em 201 datas diferentes pela América do Norte, Oceania, Europa e Ásia, durante um ano e meio.

2011 foi também o ano de Lady Gaga, com o lançamento do seu terceiro álbum de estúdio, ‘Born This Way’. Tornou-se o álbum com maior número de vendas em sua primeira semana desde 2005. Suas vendas atingiram a marca de 1.100.000 cópias em apenas uma semana, vendendo mais do que qualquer outro álbum pop feminino do ano em questão. Com single de mesmo nome não foi diferente, assumindo o primeiro lugar em 23 países, é a música com as vendas mais rápidas na história da iTunes Store. No total, ao final do ano, seu álbum vendeu entre 6 e 8 milhões de cópias no mundo inteiro, tendo quatro singles, “Born This Way”, “Judas”, “The Edge of Glory” e “Yoü and I”, no Top 10.

Em apenas quatro anos, ela se tornou uma das maiores artistas do século, conquistando o mundo inteiro e batendo recordes que grandes nomes levaram décadas para conseguir. Com seu trabalho extremamente imprevisível, cabe somente a própria Lady Gaga dizer qual será o próximo caminho que sua carreira irá tomar.

“Eu realmente acho que nós fizemos a história do pop, e continuaremos fazendo”

Share